Clube Naval de Cascais

PortuguêsEnglish (UK)
 
 
segunda, 19 maio 2014 08:54

Troféu Conde Caria 2014

Com organização do Clube Naval de Cascais e o apoio da Marina de Cascais e troiamarina, realizou-se nos dias 17 e 18 de Maio, mais uma edição de uma das regatas mais míticas para as classes de cruzeiros em Cascais: o Troféu Conde Caria, criado em 1983 e destinado a regatas oceânicas. A edição de 2014 reuniu 17 barcos que alinharam no desafio de ir de Cascais a Troia e regressar a Cascais. Pelo sexto ano consecutivo a prova teve como destino Troia, numa parceria com a troia Marina, que marca o forte sucesso desta prova, em que para além da parte competitiva, os concorrentes podem disfrutar de um acolhimento fantástico. De notar ainda a qualidade da frota inscrita nesta edição da prova, com muitos dos melhores barcos de regatas de Lisboa e Cascais a escolherem este evento para a realização de uma regata “offshore” competitiva.

No sábado todas as tripulações largaram em direção a Troia. Com o vento a soprar fraco de sueste, as equipas arrancaram em direção a Troia numa regata que se previa extremamente táctica pois ao longo do dia, todas as previsões apontavam que o vento iria rondar para Oeste e depois para Noroeste, o que poderia baralhar as contas de todos os barcos. Efetivamente as condições não podiam estar melhores até à passagem do Cabo Espichel, pois embora o vento estivesse com apenas 6 a 8 nos de intensidade, mantinha-se bastante estável, mas com mais vento junto a terra. Após a rondagem do Cabo Espichel o vento abrandou e colocou os barcos em modo muito lento, e a terem de fazer um esforço adicional para manterem um andamento constante, e obrigando os tácticos a procurarem as zonas com mais vento. Como habitualmente, o vento acabaria por rondar para Noroeste, e embora sem grande intensidade, permitiu que a frota içasse o spi, para entrar no estuário do sado, já com a maré a mudar.

O primeiro barco a chegar a Troia foi o S. Bernardo de Bernardo Moniz da Maia, completando a etapa em 7 horas 26 minutos e 12 segundos, vencendo assim o prémio de “Line Honors” destinado ao primeiro barco a cortar a linha em tempo real. Nas classificações corrigidas, o Xekmat de José Carlos Prista foi o vencedor da etapa na classe NHC e ORC, seguido do Magic Brisa de Jean Philippe Sauthier e do Metralha de José Vozone. Na classe ORC a vitória voltou a sorrir para o Xekmat, seguido do Marina de Cascais Giullieta de Alexandre Kossack e do Super Açor Lusitânia Seguros de Gonçalo Vaz Botelho. Já na classe ANC a vitória foi para o Metralha de José Vozone e em segundo lugar ficou o Cristina A de Francisco Brito e Abreu.

Nessa noite foi ainda realizado um jantar de convívio, onde foram distribuídos os prémios da edição do Troféu de 2013 e outros referentes a esta primeira etapa.

No domingo, e tal como as previsões indicavam, a largada foi dada com o vento de sudoeste, o que permitia a frota sair do Sado numa bolina e com a maré a ajudar. Ao longo de toda a etapa o vento mante-se estável, mas a rondar progressivamente para noroeste. À chegada a Cascais, o S. Bernardo voltou a vencer em tempo real com um tempo de 05 horas, 22 minutos e 57 segundos batendo desta forma o recorde desta etapa e que lhe viria a assegurar o primeiro lugar na etapa na classe NHC, seguido pelo Pede Vento de Rui Ferreira e do Marina de Cascais/Giulietta de Alexandre Kossack. Na classe ANC a vitoria na etapa ficou para Cristina A, um pequeno First 30, que demonstrava assim que não é necessário ter um barco grande para vencer uma destas regatas, seguido do Metralha de José Vozone e do Fandango de Thomas Schreiner. Na classe ORC, foi o Marina de Cascais/Giulietta de Alexandre Kossack que viria a vencer esta etapa, seguido do Pede Vento de Rui Ferreira e do Xekmat de José Carlos Prista.

Na classificação geral da prova, na classe NHC existiu um grande equilíbrio nos resultados, com 4 barcos a ficarem empatados com 8 pontos nos 4 primeiros lugares da prova. No desempate a vitória foi Xekmat de José Carlos Prista, seguido do Pede Vento de Rui Ferreira em segundo, do Metralha de José Vozone em terceiro e do Funbel de Antonio Noronha em quarto. Na Classe ANC a vitória sorria ao Cristina A de Francisco Brito e Abreu seguido do Metralha de José Vozone e do Fandango de Thomas Schreiner. Já na classe ORC, a mais competitiva, o vencedor foi o Marina de Cascais/Giulietta de Alexandre Kossack seguido do Xekmat de José Carlos Prista e do Pede Vento de Rui Ferreira.

Resultados

 

 

TEMPOS CASCAIS – TROIA

TEMPOS TROIA – CASCAIS

2009

S. Bernardo – 6:20:45

S. Bernardo – 06:14:40

2010

S. Bernardo – 06:27:31

S. Bernardo – 05:43:32

2011

Dom Pedro Hotels – 8:50:30

Largada de troia anulada e recomeço em Sesimbra

2012

S. Bernardo – 04:49:16

S. Bernardo – 05:34:21

2013

Funbel - 4:15:40

Funbel - 6:27:52

2014

S. Bernardo – 7:26:12

S. Bernardo – 05:22:57

O CNC é membro de

ICOYC Logo Rodape