Imprimir esta página
domingo, 09 abril 2017 16:36

XXII King Juan Carlos Trophy

Com uma final muito disputada, onde o vencedor só foi conhecido na última regata, terminou hoje no Clube Naval de Cascais a vigésima segunda edição do H.M. King Juan Carlos Trophy, Troféu do Rei, uma das regatas mais importantes do calendário internacional da Classe Dragão, que contou com o patrocínio da Câmara Municipal de Cascais, Turismo de Portugal e da PWC e o apoio da Marina de Cascais, Hendricks Gin, Vista Alegre, Simões e Gaspar e da Leitão e Irmão. Durante quatro dias de prova foram disputadas 5 regatas onde participaram 45 barcos representando 16 países.

Foram quatro dias, com ventos atípicos nesta altura do ano, que impediram a realização da totalidade do programa previsto como tem sido apanágio nos últimos 21 anos desta prova, mas ainda assim a permitir a execução de 5 regatas com um nível competitivo de excelência.

RP170408_KJCTD3_5579.jpg


A prova começou na quinta-feira com as confirmações das inscrições e pesagens das tripulações pela manhã, com a primeira regata a começar só pelas 14h00. Com vento de Este com cerca de 15 nós de intensidade, a regata começou da melhor forma, com a largada a ser conseguida logo à primeira. No entanto, ao final de apenas uma volta, o vento começou a escassear, obrigando a comissão de regatas a fazer um encurtamento de percursos na segunda passagem da baliza de barlavento. Quem melhor conseguiu lidar com as difíceis condições desta regata foi o Jeannie, de Jens Rathsack, que venceu a regata e terminou o primeiro dia de prova na liderança do evento.

RP170406 KJCTD1 1830

O segundo dia de regatas, 6ª feira, começou sem vento e obrigou a frota a aguardar em terra cerca de 4 horas antes que o vento estabilizasse. Com o campo de regatas montado na guia, com vento de oeste com cerca de 12 nós, a comissão de regatas teve ainda de fazer duas chamadas gerais antes que a frota conseguisse fazer uma largada limpa. A vitória desta regata coube ao Louise, de Grant Gordon, com uma vantagem considerável sobre o segundo lugar. Ao final do dia o Fever, de Klaus Diedrichts passou a ser o líder da classificação, seguido muito de perto pelo Provezza de Andy Beadsworth.

RP170407 KJCTD2 4058

O início do terceiro dia de prova foi em tudo idêntico ao dia anterior, com o vento a teimar a entrar e a obrigar a frota a aguardar em terra cerca de 3 horas antes que o vento entrasse de oeste, tal como no dia anterior. Mais uma vez a comissão de regatas montou o campo de regatas na guia, e com cerca de 15 nos de vento a frota lançou-se para a primeira regata, desta vez sem qualquer chamada geral. A vitória nesta primeira regata foi para o Smaug, de Nicola Friesen, mostrando assim que as mulheres também dão cartas nesta classe. A largada da segunda regata do dia foi dada no limite de tempo possível mas, ainda que a frota chegasse a terra quase com o sol a pôr-se, foi uma regata excepcional a terminar com uma vitória do Provezza Dragon de Andy Beadsworth, que assim passava para a liderança da prova.

RP170408 KJCTD3 6119

À chegada a terra a frota foi recebida com um jantar fantástico, onde foi realizada a entrega de prémios das Cascais Dragon Winter Series 2016-2017, que viram o Fever de Klaus Diedrichts a levar o prémio maior, seguido do Strange Litle Girl de Dimitri Samokhin em segundo e do Eva de Lars Hendriksen em terceiro. Este momento foi ainda aproveitado para fazer um leilão de uma caixa de vinhos das Caves do famoso e falecido Dragonista Louis Urvois, oferecida ao clube por Michael Zankel, cuja receita reverteu para a Escola de vela do Clube.

RP170408 KJCTD3 0571

O Domingo, último dia de regatas, prometia ser um dia de vela fantástico mas, ao contrário do que as previsões apontavam, o vento não se fazia sentir tão forte quanto previsto, o que fez com que não fosse possível realizar as duas regatas planeadas. Com um início de regata atribulado, com a frota a largar apenas à terceira tentativa, a Comissão de Regatas teve de ir reajustando o percurso para manter a sua configuração correcta de acordo com as alterações de vento. Esta derradeira regata foi ganha pelo Troika de Pieter Heerema, que assim dava um pulo na classificação e assegurava o segundo lugar do pódio.

No_way_back.jpg
No final, a vitória coube ao Provezza Dragon, de Andy Beadsworth, Simon Fry e Ali Tezdiker, seguido pelo Troika de Pieter Heerema, Lars Hendriksen e George Leonchuk em segundo, e pelo Fever de Klaus Diedrichts, Jamie Lea e Diegro Negri em terceiro. O prémio para primeira tripulação Corinthian, destinado a tripulações 100% amadoras, foi para o Still Crazy de Stefan Winberg, Fredrik Brotell e Markus Lagerquist. O primeiro barco Português foi o Lady Tati de Patrick Monteiro de Barros, Alvaro Marinho e Rodrigo Vantacich, que terminou na oitava posição.

RP170409_KJCTD4_7222.jpg

 

Resultados