Clube Naval de Cascais

PortuguêsEnglish (UK)
 
 

2002 - Inicia-se a renovação das instalações

1. CONSIDERAÇÕES GERAIS

O balanço da actividade do Clube relativo ao ano de 2002, podemos referir que finalmente foram ultrapassadas todas as dificuldades por que passámos nos últimos anos e conseguimos que as obras das nossas instalações pudessem começar.

Grande parte dos nossos esforços durante o ano foram canalizados nesse sentido, queremos por isso aqui agradecer a todos os que nos têm ajudado neste projecto e muito especialmente ao apoio recebido pela nova equipa camarária e sobretudo ao seu Presidente, Dr. António Capucho.

Uma palavra de agradecimento aos sócios que também nos continuaram a apoiar neste período complicado, mas do qual todos beneficiaremos em breve, e por isso, uma solicitação para que continuem a acreditar.

No plano desportivo demos continuidade à política de formação das camadas mais jovens, tendo as nossas escolas continuado a merecer o forte interesse dos filhos de sócios, bem como da juventude de Cascais, com os cursos sistematicamente esgotados.

São espelho do extraordinário trabalho desenvolvido pela nossa equipe de instrutores e treinadores, os resultados alcançados pelos velejadores do CNC, de onde destacamos as vitórias no Encontro Nacional de Escolas de Vela, Campeonato de Portugal em Laser e em Juniores Feminino e Campeonato Nacional da Classe Dragão

Regozijamo-nos pelo facto de voltarem a aparecer no CNC frotas das classes Laser e Snipe com um nível de actividade de realce, e já com resultados desportivos à vista.

Já no que diz respeito à organização de provas, o calendário de 2002, foi mais uma vez de grande actividade, com os nossos principais campeonatos (Troféu El Rey D. Juan Carlos I, III Open de Vela da Costa do Estoril – II Troféu Quebramar/Chrysler e Regata de Natal – Quebramar) a reafirmar a sua posição de destaque no panorama nacional e internacional.

Deixamos aqui uma mensagem de agradecimento a todos os que colaboraram na organização das provas, e às instituições que nos apoiaram, principalmente à Câmara Municipal de Cascais, Junta de Turismo da Costa do Estoril, Quebramar e Marina de Cascais.

Para o ano de 2003, teremos uma vez mais um calendário bastante preenchido, sendo de destacar para alem das provas referidas acima, o Campeonato da Europa da Classe Star, para o qual obtivemos o apoio do Grupo Portugal Telecom, como patrocinador exclusivo.

No seguimento dos grandes eventos que temos realizado, não podíamos deixar de referir o grande projecto em que o Clube Naval de Cascais está envolvido e que como corolário de um trabalho que vem sendo efectuado junto dos principais responsáveis do Team Alinghi desde há cerca de três anos, sensibilizando-os para as qualidades do nosso País, o Senhor Comodoro, Dr. Patrick Monteiro de Barros apresentou no passado dia 3 de Março, ao vencedor da XXXI America’s Cup, uma declaração de interesse no sentido de a próxima edição dessa prova se realizar em Portugal, nas águas da Baia de Cascais. Proposta esta apresentada com a anuência e o apoio da Presidência do Conselho de Ministros.

Uma nota de pesar com o falecimento de dois sócios fundadores, os Senhores João Alves Lourenço Galamas e Jaime da Encarnação Higinio, a quem muito devemos, pois foram eles que começaram esta obra cascaense que temos o dever de continuar.

Uma especial referência à perda que todos os dirigentes deste Clube sentiram com o falecimento no dia 2 de Julho de 2002 do nosso grande amigo Manuel Pereira da Silva (Pataca). O Pataca esteve durante a maior parte da sua vida ligado ao Clube Naval de Cascais, aos seus sócios e amigos, tendo sido um dos nossos mais distintos embaixadores, na sua vida profissional e de desportista. Passará muito tempo antes de conseguirmos superar esta perca. À sua mulher Manuela, filhos e restante família apresentamos as nossas sentidas condolências.

Por deliberação de 22 de Agosto de 2002, o Conselho Geral aprovou por unanimidade solicitar à Federação Portuguesa de Vela que propusesse a atribuição da Medalha de Mérito Desportivo a Título Póstumo, ao Pataca, pelos relevantes serviços prestados à Vela Nacional, na sua vida desportiva. Até ao momento aguardamos a resposta formal a esta solicitação.

Para finalizar esta introdução gostaríamos de agradecer a todos os membros dos corpos sociais - Mesa da Assembleia Geral, Conselho Geral e Conselho Fiscal, e a todos os colaboradores do Clube, que com o seu trabalho, dedicação e empenho, contribuíram para que 2002 fosse mais um ano de êxitos, de que nos orgulhamos.

2. ACTIVIDADE DESPORTIVA

Em 2002 o CNC manteve o nível da sua actividade desportiva procurando consolidar o crescimento verificado nos últimos anos.

A entrada ao serviço do Clube de dois novos adjuntos da Comissão Executiva – Bruno Santos e José Cancella de Abreu – ambos com responsabilidades na área desportiva (Escolas de Vela e Equipas e Organização de Provas, respectivamente) permitiu iniciar um trabalho de estruturação das várias actividades, do qual resultou uma melhoria dos “serviços” prestados aos velejadores.


 

2.1. Equipas de Competição

Em boa hora a Classe Laser regressou ao quadro competitivo do Clube. O trabalho desenvolvido pelo treinador Gonçalo Carvalho e o esforço e dedicação dos 10 velejadores que integraram a equipa deu os seus frutos e, já no final da época o velejador Frederico Pinheiro de Melo sagrou-se Campeão de Portugal ficando o 4º, 5º, 6º e 8º lugares, em mãos de velejadores do Clube.

A tripulação de 420 constituída pelas velejadoras Mariana Freitas e Carmo Bustorff venceram o Campeonato de Portugal de Juniores Feminino e representaram Portugal no Campeonato Mundial de Juniores da ISAF (Canadá) e no Europeu de Juniores (Bélgica). 31 velejadores integraram as equipas de Optimist e, mais uma vez, os resultados foram excelentes. Tivemos 3 velejadores classificados nos 5 primeiros lugares do Ranking Regional A e 4 velejadores nos 5 primeiros do Ranking regional B.

As boas classificações no Campeonato Nacional de Optimist permitiram colocar 2 velejadores no Campeonato do Mundo (Texas/EUA) e 1 velejador no Campeonato da Europa. Em ambos os campeonatos os nossos velejadores foram os portugueses melhor classificados (Tomás Silva em 38º no Mundial e António Matos Rosa em 50º do Europeu) e obtiveram o estatuto de Percurso de Alta Competição.

Ainda nos Optimist e pela 3ª vez em 5 anos a equipa do CNC venceu o Encontro Nacional de Escolas de Vela o que faz prever a manutenção do bom nível dos velejadores a representar o CNC.

2.2.Outras Classes

O êxito do Troféu Maria Guedes de Queirós em 2001 suscitou uma onda de adesão á classe Snipe por parte dos velejadores do Clube. A frota de Snipes do CNC tornou-se, em 2002, numa das maiores e mais activas em Portugal. Vasco Empis, Eduardo van-Zeller, Carlos Azevedo, Luís Guedes de Queiroz, José Magalhães são alguns “novos” velejadores que voltaram a treinar e a participar em campeonatos.

A frota de Dragões do CNC manteve-se muita activa e este ano a tripulação Henrique Anjos/ José Salgado / Pedro Costa Alemão venceu o Campeonato Nacional. O bom nível dos nossos velejadores de Dragão e a qualidade dos campeonatos realizados atraiu às nossas águas os melhores velejadores europeus que aqui treinaram e competiram.

Nos cruzeiros é de destacar a actividade do projecto “Quebramar/ Chrysler” totalmente constituído por velejadores do CNC. O barco venceu o Troféu Marina de Cascais, a Regata 200:2 e participou nas regatas do Circuito Galego de Alto Nível em Espanha.

Em Match Racing, Francisco Neto, Bruno Santos, Tiago Marcelino e Miguel Veludo ficaram em 2º no Campeonato Nacional e venceram a Qualificação Centro.

2.3. Equipa Olímpica

Os velejadores do CNC integrados no Projecto Atenas 2004,
49er – Pedro Andrade e Francisco Andrade
Tornado – Diogo Cayolla e Nuno Barreto
Star – Afonso Domingos e Bernardo Santos
continuaram a sua preparação a bom nível procurando a qualificação para os Jogos Olímpicos.

No âmbito da preparação da Equipa Olímpica, procedeu-se á revisão do Protocolo com a FPV, o qual trouxe aos nossos velejadores algumas vantagens.

2.4. Organização de Provas

Em 2002 realizaram-se 5 provas de vela de cruzeiro e 17 provas de vela ligeira em que participaram mais de 1500 velejadores. Destas, 10 foram provas oficiais, o que demonstra a apetência das classes em competir nas nossas águas.

Das provas realizadas há a destacar:

VII Troféu Rey D. Juan Carlos I – Dragão – 4 tripulações estrangeiras e 11 nacionais participaram no Trofeu que passou a integrar o Iberian Championship.

Regata de Natal – Quebramar – os 300 velejadores participantes tornaram esta edição na maior regata a nível nacional jamais realizada pelo Clube.

III Open de Vela da Costa do Estoril – Quebramar / Chrysler – Mercê do excelente trabalho dos patrocinadores esta prova tornou-se na regata de cruzeiros de melhor nível realizada em Portugal

Troféu Maria Guedes de Queiroz – 42 tripulações, (a maior participação de sempre), disputaram este campeonato que se tornou num dos mais simpáticos eventos realizados no CNC.

Por fim destacamos o êxito da candidatura á organização do Campeonato da Europa de Stars em 2003.

2.5. Escola de Vela

As Escolas de Vela mantiveram a sua actividade tanto a nível de cursos trimestrais como de cursos intensivos. Mais uma vez, cerca de 170 jovens se iniciaram na prática da vela no CNC.

Tendo reiniciado este ano os cursos de iniciação á vela em cruzeiro, os mesmos demonstraram que é uma prática a desenvolver.

A crescente procura dos cursos de vela veio revelar que é necessário melhorar e aumentar a estrutura da Escola – mais Instrutores, botes de apoio e barco, no próximo ano.

No sentido de melhorar a qualidade de ensino, promovemos a participação dos nossos monitores / treinadores em acções de formação organizadas pela A.R.V.C..

Nos Cursos de Navegadores de Recreio foram formados 6 Marinheiros e 13 Patrões Locais.

2.6. Escola de Actividades Náuticas de Cascais

No âmbito deste protocolo com a Câmara Municipal de Cascais e o Gabinete de Desporto Escolar, funcionou a Escola de Actividades Náuticas de Cascais baseada no Clube. Com actividade durante a semana, cerca 600 alunos das escolas do concelho puderam ter acesso á prática da vela, pranchas á vela e canoagem. Estamos cientes que é um projecto a abraçar no futuro.

Lido 3282 vezes Modificado em quarta, 31 outubro 2012 02:00

O CNC é membro de

ICOYC Logo Rodape