Clube Naval de Cascais

PortuguêsEnglish (UK)
 
 

2009 - O Ano da Consolidação

O ano de 2009 consolidou, no nosso entender, a estratégia iniciada em 2008 de um novo ciclo da vida do Clube Naval de Cascais com base nas suas novas instalações, com grande potencial de oportunidades para o seu desenvolvimento mas também muitos desafios e dificuldades na sua implementação, ademais compostas pelas consequências da severa crise económica em curso.

O Clube desenvolveu as suas actividades de formação, desportivas e de carácter social e, doutra parte, consolidou, nacional e internacionalmente, a sua posição como a referência em Portugal para a realização de grandes regatas nacionais e internacionais.

Infelizmente, a realidade e os obstáculos que surgem continuam a não permitir avançar ao ritmo que se pretende e que todos desejamos, mas os problemas que se deparam estão, de um modo geral, identificados estando-se a trabalhar na sua resolução, sendo desígnio desta Direcção continuar a perseguir os objectivos que apresentou há dois anos para o seu mandato.

Escolas de Vela

Em 2009, as Escolas de Vela, nossa prioridade no plano desportivo, aumentaram a sua actividade (+10% de alunos) relativamente ao ano anterior, não obstante a contenção das despesas familiares dada a crise verificada, embora a capacidade de alguns cursos continue a não ser ainda devidamente ocupada.

As iniciativas de promoção lançadas para fomentar o aparecimento de novos velejadores no Clube, nomeadamente as sessões regulares de “baptismos de vela” em parceria com a C.M.Cascais, deram bons resultados traduzindo-se em mais inscrições nos cursos da Escola de Vela, nomeadamente para adultos. Os Cursos de Verão continuam a ser um êxito crescente, constituindo a melhor fonte de angariação de velejadores para a Escola de Vela.

Foi cumprido o plano previsto de reequipamento no valor de 40 mil Euros para 2009, apoiado pela Câmara Municipal de Cascais e que permitiu, nomeadamente, a aquisição de 3 semi-rigidos novos para treinadores, 5 pranchas de windsurf e 2 Hobie Cats e mais material diverso. Estes novos meios, a par com a aquisição de um novo Sprinto, permitiram iniciar o projectado desenvolvimento da actividade de formação de vela para adultos e de lazer, em complemento dos canais de formação de competição tradicionais da Escola de Vela (Optimist, Laser e 420). Infelizmente, obstáculos burocráticos atrasaram para 2010 o relançamento da actividade de formação no Clube para a obtenção de cartas náuticas.

De assinalar o novo patrocínio em 2009, já renovado para 2010, pelo Banco Espírito Santo à Escola de Vela, consolidando assim os meios financeiros para o seu desenvolvimento.

Vela Adaptada – Projecto Vela Sem Limites

Completou-se o 5º ano desta actividade do Clube apoiada, desde a primeira hora, pela CM Cascais e envolvendo a colaboração de um crescente número de outras instituições. Patrocínios e subsídios obtidos permitiram o investimento em mais meios em 2009 contribuindo, em conjunto com o trabalho de muitos voluntários, para o desenvolvimento adicional da actividade de Vela Adaptada tanto para efeitos terapêuticos como desportivos, tendo já sido obtidos vários excelentes resultados em competição.

Foram adquiridos 3 barcos adicionais da classe Access aumentando para 8 a frota do Clube. Foi iniciado, com 10 velejadores, o primeiro curso de pré-competição na modalidade Vela Adaptada, constituindo o 4º dia semanal de actividade. Velejadores do Clube conquistaram os 1º, 2º e 3º lugares no 1º Encontro Nacional de Vela Adaptada realizado na Madeira e o velejador Bruno Pereira do Clube ganhou o Campeonato Europeu da Classe Access disputado em França, demonstrando a seriedade e a contínua evolução do Projecto Vela Sem Limites

Sempre muito empenhado no desenvolvimento desta modalidade em Portugal, o Clube envolveu-se muito activamente no relançamento da Associação da Classe Access e em Maio 2010 organizará a realização do seu 1º Campeonato Nacional em Cascais.

Resultados Desportivos – Olímpicos / Alta Competição

O ano seguinte ao dos Jogos Olímpicos apresenta, tradicionalmente, uma menor actividade de competição nas várias classes olímpicas e mais na organização de novas campanhas para os Jogos seguintes.

Assim, e dada a importante posição dos velejadores do nosso Clube no panorama da Vela Olímpica nacional, o Clube promoveu e em Agosto de 2009 foi assinado, com a Câmara Municipal de Cascais, o programa de alta competição “Centro de Alto Rendimento - Londres 2012”, com um investimento de 350 mil Euros financiado pela autarquia e cujo objectivo, num horizonte de 3 anos e meio, é o de apoiar financeiramente projectos de velejadores do Clube com potencial olímpico, tendo em vista a sua participação nos Jogos Olímpicos de 2012.

Francisca Martins e Teresa Cunha (420) foram Vice-Campeãs Nacionais e Campeãs de Portugal de Juniores Femininas, António e João Mello (420) foram Vice-Campeões Nacionais e João Westwood e Luís Santiago Pinto (420), Campeões Regionais; estes 3 últimos velejadores alcançaram também vários bons resultados internacionais que lhes facultaram o acesso ao Regime de Alta Competição.

Campeonatos, Grandes Competições de Vela e Actividade das Frotas

Em 2009, tal como nos vários anos anteriores, o Clube quase “esgotou”, em termos de calendário, a sua capacidade de organizar regatas, tendo realizado 45 provas em 101 dias e envolvendo 1.067 barcos e 2.925 velejadores em competições de âmbito internacional, nacional, regional ou de clube.

Integrando o projecto Cascais Portugal Vela 2009, destacamos o X Open de Vela da Costa do Estoril – Troféu Quebramar/Chrysler (63 barcos, cerca de 350 velejadores, 8 países) e o Campeonato Mundial 2009 da Classe Laser SB3 (54 barcos, 8 países).

Também de salientar o êxito da 2ª edição das Cascais Dragon Winter Series (classe Dragão, 36 tripulações de 6 países em 2009/2010), o Troféu Maria Guedes de Queiroz/Dom Pedro Hotéis (Snipes tripulação mista, 24 barcos de Portugal e Espanha) e a Regata de Natal Ford 2009 (7 classes de vela ligeira, 270 barcos, 362 velejadores representando 26 clubes de 6 países).

Foi relançada, com êxito, a actividade de regatas de Cruzeiros organizadas pelo Clube, sob o sistema simples “Handicap CNC” desenvolvido expressamente para o efeito, com a participação de 40 barcos de cruzeiro diferentes nas 11 regatas organizadas pelo Clube em 2009, sendo de realçar o Troféu Marina de Cascais, o Troféu S. Martinho /Lindley e o relançamento do histórico Troféu Conde de Caria.

As frotas de Dragão e Laser SB3 aumentaram significativamente tanto a sua actividade como o número de barcos em cada classe estacionados no Clube e participando activamente em regatas; o Clube assinou um acordo com a Classe Hobie Cat levando a um aumento tanto do número de barcos e tripulações como da organização de regatas desta classe no Clube.

Assegurou-se, assim, a consolidação da posição do Clube como a referência em Portugal para a realização de grandes regatas nacionais e internacionais

Sócios, Actividade Social, Instalações e Serviços

Tal como já referido no ano anterior, estas áreas são as que apresentam os maiores desafios e oportunidades de desenvolvimento adicional para o Clube e, também, muitas dificuldades na sua implementação, mas onde se começam a verificar vários progressos.

Foi finalizada a organização e composição de toda a equipa administrativa/financeira, desportiva e de cais assim como de marketing e relações públicas do Clube e a sua instalação na área da Secretaria. Consideramos, assim, ter sido atingida uma melhor eficácia, profissionalização e responsabilização das pessoas envolvidas com vista a um melhor serviço aos Sócios. Os horários revistos de funcionamento do cais e sede optimizaram a utilização dos recursos humanos e as horas de serviço parecendo corresponder às expectativas dos Sócios.

O Clube Naval da Cascais utilizou as suas novas instalações ao longo de todo ano com algumas limitações. Durante ano efectuaram-se diversas reparações e correcções à obra, existindo um plano para concluir todos esses trabalhos ao longo de 2010. Também durante o ano se avançou nos diversos formalismos pendentes para se potenciar utilização das instalações a 100%.

É, no entanto, de assinalar que os custos de manutenção da nova sede, em conjunto com algumas debilidades da mesma, representam uma responsabilidade adicional significativa que o Clube terá de suportar nos anos futuros.

Não obstante os problemas acima, no plano social realizaram-se nas instalações do Clube, em 2009, diversas “happy hours” e jantares relacionados com as regatas havidas assim como diversas festas, jantares e outras funções organizadas para pessoas individuais e empresas e as quais já contribuíram com receitas significativas para o Clube. De salientar a jantar de homenagem aos novos Sócios Honorários, a sardinhada no cais e o segundo almoço oferecido pelo Clube em Outubro aos representantes dos seus principais patrocinadores de 2009 e que contou com a presença do Presidente da Câmara de Cascais.

Está ainda longe de atingir o objectivo de ter um programa e instalações que envolvam mais os Sócios nas actividades sociais do Clube, mas serão continuados os esforços para concretizar outros projectos, serviços e benefícios que contribuam para “atrair” mais Sócios, actuais e novos, ao Clube.

Finalmente, na área de comunicação com os Sócios e divulgação do Clube e das suas actividades, há que assinalar a consolidação da revista do Clube “Hippocampus”, já com seis números publicados a esta data, e que alcançou um bom acolhimento por parte dos Sócios e outros públicos, assim como o apoio dos anunciantes que asseguram a sua viabilidade financeira e contribuição para as receitas do Clube.

Constatamos, com satisfação, que o objectivo proposto para esta revista foi plenamente atingido. Mas, para além de comunicar, a “Hippocampus” tem divulgado contribuições preciosas para a história do Clube, graças aos diversos textos redigidos por Sócios e ilustrados com fotografias inéditas. Aproveito para aqui agradecer essa colaboração e incentivar outros Sócios a contribuir para a continuada recolha de documentação histórica sobre o Clube.

Situação Financeira

O ano de 2009 foi um ano de consolidação da estratégia delineada em 2008 e que em 2009 já afectou o exercício completo.

As debilidades estruturais do CNC dificultam extraordinariamente a sua gestão financeira e condicionam substancialmente a sua actividade. Para contrariar esta debilidade iniciou-se em 2008 um plano de acções por área de actividade, com o objectivo de equilibrar financeiramente as áreas deficitárias e manter ou desenvolver áreas com potencial de desenvolvimento. Em 2009 foi o ano de consolidação de novos serviços no CNC, nomeadamente os alugueres de salas e serviços, bem com a revista Hippocampus, aumentando a actividade do CNC, a sua capacidade de comunicação com sócios, patrocinadores e a sociedade em geral, para além de criar novas receitas ao CNC.

O atraso no licenciamento do CNC e a respectiva conclusão do processo traz diversos custos adicionais, bem como uma redução da potencial receita da Concessão do restaurante.

O CNC registou em 2009 um aumento ligeiro da sua actividade, tendo atingido um volume de vendas de 1.122.192 Euros, o que representa um aumento de 2,2% versus 2008. Os custos tiveram uma ligeira redução tendo atingido custos do exercício no valor de 1.086.914 Euros, o que representou um resultado líquido positivo de 35.278 Euros.

Agradeço a todos que connosco colaboraram neste ano de 2009 na condução dos assuntos do Clube, especialmente os Membros dos Órgãos Sociais e Bernardo Pinto Gonçalves, os Colaboradores do Clube, os Sócios e voluntários que colaboraram com o Clube, à família do saudoso Eng.º Tony Potier Godinho, representada pelo sócio Mário Quina, pela oferta de um barco ao Clube, às entidades oficiais com quem o Clube se relaciona, especialmente à Câmara Municipal de Cascais, suas Agências e Empresas Municipais, Turismo do Estoril, Marcascais, Capitania do Porto de Cascais, DRAGOPOR. APCLaser SB3, Federação Portuguesa de Vela, ARVCentro, ISAF e outras organizações e clubes náuticos assim como os diversos patrocinadores do Clube e das suas regatas e os anunciantes da revista “Hippocampus”, por todo o apoio, colaboração e solidariedade que tiveram para com o Clube e a sua Direcção por mim aqui representada.


José Sotto Mayor Matoso
Presidente

Lido 4300 vezes Modificado em sexta, 19 outubro 2012 18:04

botao inscricoes1

Últimas notícias