Clube Naval de Cascais

PortuguêsEnglish (UK)
 
 
segunda, 26 maio 2014 16:38

2013

No exercício de 2013 o Clube Naval de Cascais celebrou o seu 75º Aniversário e o ponto mais relevante a assinalar é a atribuição do título de Membro Honorário da Ordem do Infante Dom Henrique com o qual Sua Excelência O Presidente da República teve a gentileza de agraciar o Clube. Esta tão distinta condecoração é o muito estimado reconhecimento público do trabalho desenvolvido pelo Clube nestes seus 75 anos de actividade, nomeadamente, na introdução e formação de jovens ao mar e à vela, do estatuto e prestígio que o Clube alcançou no mundo desportivo da vela em Portugal e no estrangeiro e do contributo que tem dado para a divulgação e projecção de Cascais e Portugal no mundo da vela internacional.

Neste exercício de 2013 o Clube registou o segundo melhor nível de actividade da sua história, depois do recorde estabelecido em 2012. Tal resultado, no nosso entender, consolida o atingimento dos objectivos definidos na estratégia iniciada em 2008 e desenvolvida ao longo dos últimos seis anos, de um novo ciclo da vida do Clube Naval de Cascais com base nas suas novas instalações, com grande potencial de oportunidades para o seu desenvolvimento mas também muitos desafios e dificuldades na sua implementação, ademais compostas pelas consequências da actual severa crise económica e financeira nacional. O Clube desenvolveu as suas actividades de formação, desportivas e de carácter social e, doutra parte, consolidou, nacional e internacionalmente, a sua posição como a referência em Portugal para a realização de grandes regatas nacionais e internacionais. O Clube reforçou adicionalmente a sua situação financeira, tendo os resultados de exploração e de consolidação do balanço realizados em 2013 excedido o orçamentado, permitindo o continuado investimento nos meios necessários para o desenvolvimento operacional e social do Clube. Esta Direcção considera que atingiu e até excedeu os objectivos para este exercício de 2013, na sequência dos resultados também positivos apresentados nos exercícios anteriores.

Celebrações do 75ª aniversário do Clube O ponto alto da actividade social do exercício de 2013 do Clube Naval de Cascais foi a celebração do seu 75º Aniversário, tendo sido constituída uma Comissão de Honra das Celebrações presidida por Sua Excelência O Presidente da República Aníbal Cavaco Silva. As Celebrações envolveram a realização das Regatas 75º Aniversário a 1 e 2 Junho seguidas do barbecue e da festa “Hello Summer”, a realização a 10 de Outubro no Clube do jantar oficial presidido pela Comissão de Honra e com a presença de todos os membros actuais e passados dos seus Corpos Sociais e os seus Sócios Fundadores e Honorários, a criação e utilização durante todo o ano de um logotipo alusivo ao 75º Aniversário e a edição de um número especial comemorativo do 75º Aniversário da revista Hippocampus. As Celebrações culminaram a 10 de Outubro com a atribuição do título de Membro Honorário da Ordem do Infante D.Henrique com o qual Sua Excelência O Presidente da República teve a gentileza de agraciar o Clube. Esta tão distinta condecoração é o muito estimado reconhecimento público do trabalho desenvolvido pelo Clube nestes seus 75 anos de actividade, nomeadamente, na introdução e formação de jovens ao mar e à vela, do estatuto e prestígio que o Clube alcançou no mundo desportivo da vela em Portugal e no estrangeiro e do contributo que tem dado para a divulgação e projecção de Cascais e Portugal no mundo da vela internacional. Os 75 anos de história e de sucesso do CNC foram construídos e foram agora motivo de celebração e reconhecimento público graças ao empenho e à dedicação voluntária das várias dezenas de pessoas que estiveram à frente do Clube nestes anos. Esta distinção é também devida aos Sócios do Clube e aos seus velejadores e atletas e aos múltiplos e excelentes resultados que alcançaram com as cores do Clube e de Portugal em tantas provas em Portugal e no estrangeiro, nomeadamente nos Jogos Olímpicos, tanto num passado histórico como na actualidade. É também dedicada à equipa altamente competente e capaz de profissionais de que o nosso Clube tem disposto e que lhe permite responder aos mais exigentes desafios seja em terra ou no mar.

O Clube é hoje activo, e muitas vezes líder ou pioneiro, em várias frentes, nomeadamente na introdução ao mar de jovens e adultos, na formação de velejadores na sua Escola da Vela, há quase uma década na Vela Adaptada a Deficientes, nas Equipas de Competição, Alta Competição e Olímpicas e na promoção e organização de grandes regatas e campeonatos nacionais e internacionais de relevo. O Clube, ao empenhar-se em colocar-se ao nível internacional de topo dos clubes náuticos, congratula-se de ser um parceiro activo na dinâmica de Portugal e particularmente da sua região, contribuindo para a promoção internacional de Cascais como um dos mais importantes centros de vela e de regatas internacionais no Mundo. Foi realizado muito no Clube nestes 75 anos graças ao envolvimento de todos os acima referidos e é muito bom ver um reconhecimento público pelo que foi alcançado. A distinção agora atribuída é certamente o melhor dos estímulos para o trabalho futuro a realizar no Clube.

 

Escolas de Vela

Em 2013, as Escolas de Vela, prioridade do Clube no plano desportivo, com 591 curso/pessoa (+36% que no ano anterior) voltaram a estabelecer um recorde de actividade relativamente aos anos anteriores, fruto da estratégia delineada e do bom trabalho desenvolvido na sua implementação pelos seus responsáveis e não obstante a contenção das despesas familiares dada a crise verificada. A diversificação da oferta de cursos e as iniciativas de promoção lançadas para fomentar o aparecimento de novos velejadores no Clube, nomeadamente as sessões regulares de “baptismos de vela” em parceria com a C.M.Cascais e os acordos com algumas escolas do Concelho, deram bons resultados, traduzindo-se em mais inscrições nos cursos da Escola de Vela, nomeadamente para adultos. Os Cursos de Verão e a sua diversidade de oferta continuam a ser um êxito crescente, constituindo a melhor fonte de angariação de velejadores para a Escola de Vela. De assinalar o continuado patrocínio em 2013 pelo Banco Espírito Santo da Escola de Vela que consolida os meios financeiros disponíveis para o seu desenvolvimento, contribuindo para o permanente investimento nos seus meios.

 

Vela Adaptada – Projecto Vela Sem Limites

Completou-se o 7º ano desta actividade do Clube, apoiada desde a primeira hora pela C.M.Cascais e a Cercica e, agora, envolvendo a colaboração de um crescente número de outras instituições. Foram efectuadas 1.180 saídas com utentes portadores de deficiência em 110 sessões de vela adaptada. A actividade manteve a frequência de 4 sessões por semana, onde participaram mais de 60 alunos e é de realçar que foi iniciada a pràtica de vela para invisuais aos Sábados. Três velejadores da Vela Sem Limites do Clube composeram a equipa que participou nos Campeonatos Europeus Access na Suíça, tendo o Carlos Alberto Araújo conquistado um brilhante terceiro lugar no Access 303S, a maior frota presente nos Campeonatos. Pedro Reis conquistou o título de Vice-Campeão Nacional. É de destacar a importância fundamental que o voluntário tem na Vela Sem Limites, que registaram mais de 720 presenças no ano, e o Clube está sempre aberto a uma maior participação da parte dos Sócios nesta actividade.

 

Resultados Desportivos – Olímpicos / Alto Rendimento / Competição

A actividade de 2013, início de novo ciclo olímpico, dos velejadores Olímpicos e de Alto Rendimento do Clube foi limitada pela falta de verbas oficiais e atraso na definição do Projecto Rio 2016 e pela formação de novas equipas e alterações de classes em que competem. Não obstante, as várias tripulações participaram em várias regatas internacionais com bons resultados sendo de destacar o 5º lugar no Europeu de 49er de Jorge Lima/José Costa, a vitória de Gustavo Lima no Campeonato Britânico de Laser Standard e os 1ºs lugares na Semana Olímpica da Andaluzia de António Matos Rosa/Ricardo Schedel em 470 e de Frederico Melo em Finn. A política desportiva da Federação em 2013 contínua a ter consequências negativas para a Vela em geral e para a formação em particular, resultando numa redução do número de regatas e de praticantes e na menor motivação para a prática desportiva. Apesar disto os velejadores do Clube mantiveram uma grande atividade e obtiveram bons resultados.

Nas Equipas de Competição, é de realçar o brilhante desempenho da Equipa de 420 do Clube em que Diogo Pereira/Pedro Cruz foram Campeões de Portugal de Juniores (e 3º em Absolutos), Medalha de Bronze no Campeonato do Mundo da Juventude da ISAF, 6º no Campeonato do Mundo de Absolutos e 4º no Campeonato da Europa de Juniores. João Prieto/João Westwood foram 3º no Campeonato de Portugal de Juniores e 5º no Campeonato da Europa da Juventude da ISAF. Teresa Camelo/Helena Oliveira foram 3º no Campeonato de Portugal de Juniores. Nas classes Optimist e Laser, onde está a ser formada uma nova geração de velejadores, Tomás Barreto foi 3º na Semana Internacional do Carnaval – Vilamoura em Optimist e Miguel Cruz integrou a Equipa de Representação Nacional no Campeonato da Europa de Juniores. A Equipa de Competição da Classe Access 303 voltou a destacar-se com Carlos Alberto Araújo a ganhar a Medalha de Bronze no Campeonato da Europa sendo Pedro Reis Vice-Campeão Nacional. Mas outros velejadores do Clube obtiveram excelentes resultados internacionais em 2013 em diversas outras Classes de competição. De assinalar o excelente e notável 3º lugar alcançado em S.Francisco na Califórnia pelo Roff Cascais Sailing Team, timonado por Bernardo Freitas na Red Bull Youth America´s Cup 2013, integrando uma da mais emblemáticas competições de vela mundial. Na Classe Dragão, José Sotto Mayor Matoso/Gustavo Lima e Frederico Melo sagraram-se Campeões da Europa em Cascais e com Bernardo Santos alcançaram o 6º lugar na Dragon Gold Cup em Douarnenez na Bretanha. Afonso Domingos – Campeão do Mundo na Classe Benneteau 25 e ainda, acompanhado por Nuno Barreto, Campeões Europeus da Classe Soto 40. O Comodoro Honorário do Clube Patrick Monteiro de Barros – 1º Lugar na Antigua Classic Yacht Regatta no seu iate Seljm e 2º lugar no Cascais RC44 Cup 2013 com o Cascais Aleph. Mariana Lobato – Campeã Mundial de Match Racing e Pedro Barreto/Sofia Barreto – 3º Campeonato Ibérico na Classe Snipe. Campeonatos, Grandes Competições de Vela e Actividade das Frotas Em 2013, tal como nos recentes anos anteriores, o Clube continuou a quase “esgotar”, em termos de calendário, a sua capacidade de organizar regatas, tendo realizado 51 provas em 114 dias, envolvendo 1,202 barcos e 3,484 velejadores em competições de âmbito internacional, nacional, regional ou de clube.

O ano de 2013 foi o segundo melhor ao nível da história do Clube, depois de 2012, na realização de grandes campeonatos internacionais de vela, integral e exclusivamente promovidas e organizadas pelo Clube com o apoio fundamental e imprescindível da Câmara Municipal de Cascais. Tal consolida, nacional e internacionalmente, o Clube como a referência em Portugal para a realização de grandes regatas nacionais e internacionais. Destacamos a realização do Cascais BMW European Championship 2013 com a participação de 62 barcos e cerca 200 velejadores de 15 nacionalidades, incluindo os dois anteriores detentores do título europeu e o campeão do mundo entre outros grandes nomes da classe. De realçar, pelo segundo ano consecutivo, a Cascais RC44 Cup, etapa portuguesa de um dos mais importantes circuitos mundiais de vela; com uma frota de 14 barcos, incluindo uma tripulação portuguesa timonada pelo Comodoro Honorário do Clube Patrick Monteiro de Barros e patrocinada pela C.M.Cascais. De assinalar, também, a prova Cascais Vela 2013 composta do Troféu Quebramar / Regata Marina de Cascais / Regata Clube Naval de Cascais / Desafio Dragão Chivas / Desafio SB20 Jeep /Cascais Classic Regata, uma das melhores provas ibéricas de cruzeiro da classe ORC e que em 2013 incluiu também as classes cruzeiro ANC, handicap CNC e também envolveu as classes Dragão e Laser SB20 e os Clássicos; para além do sucesso desportivo, esta prova tem uma importante componente social que compreende a festa “Bye Bye Summer” no cais do Clube e que, há anos, marca o final da época de regatas de Verão em Cascais.

Também de salientar o êxito da 5ª edição das Cascais Dragon Winter Series (classe Dragão, 69 tripulações de 15 países) que finalizaram com o Troféu S.M. El Rey Juan Carlos I, prova “Grade 1”da Classe Internacional Dragão, as Regatas 75º Aniversário do Clube com a participação de vários clubes nacionais convidados, o Troféu Maria Guedes de Queiroz/Dom Pedro Hotéis (Snipes e Laser SB20 com tripulações mista de Portugal e Espanha), a Regata de Natal – Lusitânia Mar 2013 (8 classes, 184 barcos) e a Quebramar Cascais Laser Europa Cup 2013 (80 velejadores de 8 países), prova do circuito europeu desta classe olímpica. Manteve-se a forte actividade de regatas de Cruzeiros organizadas pelo Clube, sob o sistema simples “Handicap CNC” desenvolvido expressamente para o efeito, sendo de realçar o XIII Troféu Marina de Cascais, o Troféu Conde de Caria, com o apoio da Tróia Marina, e o 1º Tour de Portugal à Vela.

Realizaram-se também em 2013 em Cascais e sob organização do Clube várias provas oficiais de índole regional, de apuramento nacional (PANs) e campeonatos nacionais de várias classes de vela ligeira. As frotas de Dragão, Laser SB3 e Hobie Cat, as classes com maior representação no Clube, mantiveram a sua actividade e o número de barcos em cada classe estacionados no Clube e participando activamente em regatas. Assegurou-se, assim, a consolidação da posição do Clube como a referência em Portugal para a realização de grandes regatas nacionais e internacionais.

 

Sócios, Actividade Social, Instalações e Serviços

Estas áreas, que continuam a apresentar os maiores desafios e oportunidades de desenvolvimento adicional para o Clube, verificam vários progressos e a consolidação de uma atividade regular. A estabilização da organização e das equipas administrativa/financeira, desportiva e de cais assim como de marketing e relações públicas do Clube e a sua profissionalização e responsabilização, tem permitido uma crescente eficácia no desempenho das funções com vista a um melhor serviço aos Sócios. Os horários revistos de funcionamento do cais e da sede otimizam a utilização dos recursos humanos e as horas de serviço, parecendo corresponder às expectativas dos Sócios. Finalizou-se o processo de responsabilização, pelo Clube, das relevantes entidades intervenientes na construção das instalações pelas várias imperfeições identificadas, estando em negociação a respectiva indemnização. Efectuou-se a reparação de infiltrações em várias áreas e a reconstrução integral da claraboia de acesso ao salão e foi construido o novo deck do restaurante; no lado operacional iniciou-se o processo de substituição de vários semi-rígidos da frota e que será completado no próximo ano. É no entanto de assinalar, que os custos de manutenção da nova sede, em conjunto com algumas debilidades ainda existentes da mesma, representam uma responsabilidade adicional significativa que o Clube terá de suportar nos anos futuros; em 2013, como já verificado no exercício anterior, os custos do exercício foram acrescido de muitos destes custos ainda que tenham servido para diversos melhoramentos nas instalações do Clube. O concessionário da exploração do Bar e Restaurante completou o segundo ano de atividade e de contribuição com a respetiva receita para o Clube. No entanto, o seu desempenho e serviço foram considerados insuficientes para os objectivos do Clube, tendo sido negociada a rescisão do seu contrato, com efeito a final de Março 2014 e inciada a procura de novo concessionário. No plano social realizaram-se nas instalações do Clube, em 2013, diversas “happy hours” e jantares relacionados com as regatas havidas assim como diversas festas, jantares e outras funções organizadas para pessoas e empresas, as quais contribuíram com receitas significativas para o Clube. De salientar o barbecue das Regatas 75º Aniversário com a festa “Hello Summer” no cais, o sexto almoço anual oferecido pelo Clube em Novembro aos representantes dos seus principais patrocinadores em 2013 e que contou com a presença do Presidente da Câmara de Cascais e, a 10 de Outubro, o jantar oficial do 75º Aniversário presidido pela Comissão de Honra e com a presença de todos os membros actuais e passados dos seus Corpos Sociais e os seus Sócios Fundadores e Honorários. Serão continuados os esforços para concretizar, no decurso de 2014, outros projectos, investimentos, serviços e benefícios que contribuam para envolver mais os Sócios, atuais e novos, nas atividades sociais do Clube. Finalmente, na área de comunicação com os Sócios e a sociedade em geral e divulgação do Clube e das suas atividades, assinala-se a consolidação da revista do Clube “Hippocampus”, já com dezanove números publicados a esta data, e que alcançou um bom acolhimento por parte dos Sócios e outros públicos, assim como o apoio dos anunciantes que asseguram a sua viabilidade financeira. Constatamos, com satisfação, que o objetivo proposto para esta revista está plenamente atingido. Mas, para além de comunicar, a “Hippocampus” tem divulgado contribuições preciosas para a história do Clube, nomeadamente na sua edição especial do 75º Aniversário. Aproveito para aqui agradecer a colaboração de alguns Sócios neste processo e a incentivar outros a contribuir para a continuada recolha de documentação histórica sobre o Clube.

 

Falecimento de Sócios Honorários

Assinala-se com grande pesar e tristeza o falecimento de dois Sócios Honorários do Clube. Em 2013, Carlos Pantaleão, que dedicou grande parte da sua existência ao ensino no Clube, onde esteve mais de 25 anos à frente da escola de vela, tendo por ele passado praticamente todos os actuais campeões do Clube. Já em 2014, António Gentil de Herédia, activo velejador em diversas classes e mais recentemente na classe dragão.

 

Situação Financeira

O ano de 2013, em que o Clube celebrou o seu 75º Aniversário, foi o segundo melhor ano de actividade do Clube depois de 2012 com um exercício em linha com o orçamentado e resultando num resultado positivo e uma consolidação do balanço acima do orçamentado. O Clube tem vindo a conseguir corrigir as suas debilidades e a equilibrar a sua situação financeira apesar do difícil enquadramento económico do Pais e as dificuldades criadas em praticamente todas as suas áreas de actividade. O desenvolvimento de novos projectos tem vindo a dotar o Clube dos recursos necessários para, progressivamente, investir nas suas instalações, frota de barcos e diversos equipamentos necessários ao seu desenvolvimento operacional e social. Esses investimentos têm vindo a permitir reduzir custos operacionais do Clube e melhorar as condições das actividades desenvolvidas pelos nossos Sócios. Mas os custos de manutenção da nova sede, resultantes de algumas debilidades da mesma, representam uma responsabilidade adicional que o Clube terá de suportar nos anos futuros. A revista Hippocampus manteve ao longo de 2013 a sua independência financeira e tem apoiado o Clube na sua comunicação com Sócios, patrocinadores e a sociedade em geral. O Clube registou em 2013 um nível de actividade muito semelhante à do ano anterior, tendo atingido um volume de vendas de 1.683.143 Euros, o que representa um decréscimo de 3% versus 2012. Os custos, incluindo amortizações e provisões, também foram muito semelhantes aos do ano anterior, tendo atingido o valor de 1.558.878 Euros, o que resultou num resultado liquido positivo de 48.392 Euros. O Balanço do Clube consolidou-se significativamente em 2013, com o Activo Liquido a aumentar 276.866 Euros (+53%) para um total de 826.297 Euros, a Situação Líquida a aumentar 48.392 Euros (+14%) para um total de 388.166 Euros e não tendo o Clube qualquer responsabilidade bancária.

 

Agradeço a todos que neste ano de 2013 colaboraram com o Clube na condução dos seus assuntos, especialmente aos Membros dos Órgãos Sociais e Bernardo Pinto Gonçalves, aos Colaboradores do Clube, aos Sócios e voluntários que colaboraram com o Clube, às entidades oficiais com quem o Clube se relaciona, especialmente à Câmara Municipal de Cascais, suas Agências e Empresas Municipais, Turismo do Estoril, Marcascais, Capitania do Porto de Cascais, Dragopor, APCLaser-SB3, APCAccess, Federação Portuguesa de Vela, ARVCentro, ISAF e outras organizações e clubes náuticos assim como os diversos patrocinadores do Clube e das suas regatas e os anunciantes da revista “Hippocampus”, por todo o apoio, colaboração e solidariedade que tiveram para com o Clube e a sua Direcção por mim aqui representada no decurso de 2013.

José Sotto Mayor Matoso

Presidente

Publicado em Historial
segunda, 26 maio 2014 13:31

2012

Neste exercício de 2012 o Clube registou o maior nível de actividade da sua história e muito superior à registada no ano anterior. Tal resultado, no nosso entender, consolida a estratégia iniciada em 2008 e desenvolvida ao longo dos últimos cinco anos, de um novo ciclo da vida do Clube Naval de Cascais, baseada nas suas novas instalações, com grande potencial de desenvolvimento mas também muitos desafios e dificuldades na sua implementação, ademais compostos pelas consequências da severa crise económica e financeira nacional em curso.

O Clube desenvolveu as suas atividades de formação, desportiva e de carácter social, tendo consolidado, nacional e internacionalmente, a sua posição como referencia em Portugal para a realização de grandes regatas nacionais e internacionais. O Clube reforçou a sua situação financeira tendo o resultado de exploração e consolidação do balanço realizados no exercício de 2012 excedido o orçamentado, começando a permitir libertar recursos para progressivamente, investir nas suas instalações, frota de barcos e diversos equipamentos necessários ao seu desenvolvimento operacional e social. Esta Direção considera que atingiu e até excedeu os objetivos para este exercício de 2012, na sequência dos que apresentou há cinco anos para o seu mandato de 2008 -2012.

 

Escolas de Vela

Em 2012, as escolas de Vela, prioridade do Clube no plano desportivo, com 435 curso/pessoa (+10% que no asno anterior), e depois de um pequeno retrocesso em 2011, voltaram a bater o recorde de mais de 400 curso/pessoa estabelecido em 2010 ainda que a receita tenha ficado ligeiramente abaixo da registada nesse ano. De realçar o continuado patrocínio em 2012 pelo Banco Espírito Santo à Escola de Vela que consolida os meios financeiros disponíveis para o seu desenvolvimento, contribuindo para o permanente investimento nos seus meios. De assinalar que neste exercício, depois de um interregno de 10 anos resultante da renovação das instalações, foi relançada a partir de Abril 2012 a atividade de formação no Clube para a obtenção de Cartas Náuticas, com o respetivo benefício nas atividades da Escola de Vela e completando a oferta do Clube na área da formação, para além de contribuir uma receita adicional. Foram ministrados um total de 7 cursos com 43 participantes nas categorias de Marinheiro, Patrão Local e Radiotelefonista.

 

Vela Adaptada – Projeto Vela Sem Limites

Completou-se o 8º ano desta atividade do Clube, apoiada desde a primeira hora pela C. M. Cascais e envolvendo a colaboração de um crescente número de outras instituições. Os patrocínios e subsídios obtidos, em conjunto com o trabalho de muitos voluntários, permitiram o desenvolvimento adicional da atividade de Vela Adaptada tanto para efeitos terapêuticos como desportivos, com a obtenção de vários excelentes resultados em competição. O velejador Pedro Reis do Clube sagrou-se se Campeão Nacional e Campeão do Ranking da Classe Access , Campeão do Volvo Match Racing, demonstrando a seriedade e a contínua evolução do Project Vela Sem Limites. Sempre muito empenhado no desenvolvimento desta modalidade em Portugal, o Clube realizou o seu V Encontro de Vela Adaptada em Setembro com a presença de 50 participantes de várias instituições. Finalmente, com o apoio financeiro da C. M. Cascais, foram reunidas as condições para a instalação, em Março de 2012, de um novo pontão para a Vela Adaptada que permitirá um incremento significativo desta atividade dada a significativa melhoria de acesso e segurança que permite. Foi também iniciada a atividade de Vela Adaptada a invisuais uma nova atividade em que o Clube se estabeleceu como pioneiro em Portugal tendo sido apoiado pela C. M. Cascais com uma contribuição para a renovação integral e adaptação específica a esta actividade do antigo barco escola Raquero que foi batizado com o nome Carlos Pantaleão, antigo instrutor do Clube, e um dos primeiros voluntários da Vela Adaptada.

 

Resultados Desportivos – Olímpicos/Alta Competição

Para os velejadores do Clube inseridos no Regime de Alta Competição e no Project Olímpico o ano de 2012 culminou com a sua participação em 5 das 8 classes de Vela da representação de Portugal nos Jogos Olímpicos de Londres de 2012, nomeadamente nas classes de Laser Standard, Star, 49er, laser feminino e Match Race Feminino num total de 9 velejadores (as). De destacar o Diploma Olímpico de 8º lugar obtido pela dupla Bernardo Freitas e Francisco Andrade na Classe 49er que lhes garante a permanência no projeto olímpico para 2016. Mas também de assinalar a prestação dos outros velejadores (as) do Clube nos Jogos e os bons resultados que obtiveram em diversas outras provas neste ano. Tal representação de 9 velejadores do Clube nos Jogos Olímpicos de londres 2012 fez do Clube Naval de Cascais o 2ºClube Português com maior número de atletas nos jogos, sendo maior que a registada em 2008 e a maior representação portuguesas de vela de sempre em quaisquer Jogos Olímpicos. Para isso contribuíram as verbas disponibilizadas pelo programa de alta competição “Centro de Alto Rendimento – Londres 2012” promovido em 2009 pelo Clube e financiado pela C.M. Cascais e que assim colheu os frutos do investimento realizado. Isto depois de um ano de 2011 particularmente ingrato para os velejadores de alta Competição e do Projeto Olímpico que viram a sua actividade comprometida durante vários meses dada a suspensão dos apoios e verbas do Estado à F. P. Vela.

O ano de 2011 assinalou o regresso dos bons resultados dos velejadores do Clube nomeadamente nas equipas de 420 e da classe Access. A equipa de Laser, ainda em formação, e a renovada equipa de Optimist, concentraram o seu trabalho no desenvolvimento técnico das suas tripulações, tendo atingido os seus objetivos de qualificação para os respectivos Campeonatos de Portugal. Pedro Reis foi o grande nome na classe Access sagrando-se Campeão Nacional, Campeão do Ranking da Classe Access e Campeão do Volvo Match Racing. Diogo Pereira e Pedro Cruz foram Vice-Campeões de Portugal de Juniores na classe 420 e 3 tripulações do clube desta classe integram o Programa de Orientação Olímpica da F.P. Vela.

 

Campeonatos, grandes Competições de Vela e Atividade das Frotas

Desde 2009/10 que o Clube considerava quase ter “esgotado”, em termos de calendário, a sua capacidade de organizar regatas. No entanto, em 2012 e como resultado do investimento e trabalho realizados, o Clube registou mais um aumento significativo, relativo a 2011, do número de dias de atividade (+13%) e de provas realizadas (+10%). Assim realizaram 57 provas em 132 dias envolvendo 1.344 barcos e 3.571 velejadores em competições de âmbito internacional, Nacional, regional ou de Clube. Tal parece ser recorde absoluto de atividade do Clube em termos de organização de regatas de todos os tempos da sua existência.

De facto, 2012 foi um ano excepcional de realização de grandes campeonatos internacionais de vela por parte do Clube, sendo especialmente de realçar que todas as provas realizadas foram promovidas exclusiva e integralmente pelo Clube Naval de Cascais com o apoio fundamental e imprescindível da Câmara Municipal de Cascais. De destacar o Cascais RC44 Cup em Março, etapa portuguesa de um dos mais importantes circuitos mundiais de vela, com uma frota de 14 barcos incluindo uma tripulação portuguesa liderada pelo Comodoro Honorário do Clube, Patrick Monteiro de Barros, e patrocinada pela C. M. de Cascais. Seguiu-se em final de Maio o Stop Over em Cascais da regata “Warm Up to the Vendée Globe” da classe IMOCA; envolvendo 6 barcos, consistiu da chegada e largada da regata e a realização de regatas de demonstração e “speed trials” na baia de Cascais. De seguida, em Junho, e a pedido da Lagos Sport, o Clube foi chamado a assegurar a organização de toda a parte de mar do Stop Over em Lisboa da Volvo Ocean Race assim como de diversos programas náuticos de animação do evento. Foram 30 dias de intenso trabalho de coordenação de cerca de 60 barcos e 100 pessoas em que a equipa do Clube demonstrou a sua capacidade de organização de grandes provas e eventos de vela internacionais.

Assinalamos em Setembro, a prova Cascais Vela 2012 composta do Troféu Quebramar-ORC/ Regata Marina de Cascais ANC/Desafio Dragão Chivas/Desafio Laser SB20 Jeep/Cascais Classic Regatta, uma das importantes provas ibéricas de cruzeiro da classe ORC e que em 2012 incluiu as classes cruzeiro ANC, Handicap CNC e também envolveu as classes Dragão e Laser SB20, assim como iates clássicos; para além do sucesso desportivo, esta prova tem uma importante componente social que compreende a muito concorrida festa Bye Bye summer” realizada no Cais do Clube e que há anos marca o final da época das regatas de Verão em Cascais. Também em Setembro, realizou-se o Cascais Stop-Over” do MOD70 European Tour; edição do regresso a Cascais desta prova de Vela Olímpica que acreditamos possa atingir um sucesso e número de participantes crescente envolvendo 5 trimarãs de 70 pés one-design, e consistiu na largada e chegada da regata e a realização de várias regatas “in-port” e “speed trials” na baia de Cascais assim como uma regata de “Volta a Portugal”.

Finalmente em Dezembro e em associação com o Atlantic Yacht Club de França, realizou-se a largada da Panerai Transat Classique 2012 de Cascais até á ilha de Barbados nas Caraíbas. Largaram 15 iates clássicos de diversas nacionalidades e que fizeram parte do conjunto de 25 clássicos que antes tinha participado em duas regatas de aproximação e junção de frotas prospectivamente de Douardenez e St.Tropez até Cascais. Esta foi a primeira realização da regatas para barcos clássicos pelo Clube e que se pretende continuar em anos futuros. Também de salientar o êxito das Cascais Dragon Winter Series (classe Dragão, 40 tripulações de 11 países) que finalizaram com o Troféu S.M. El Rey Juan Carlos I, prova “Grade 1” da Classe Internacional Dragão, a Regata de Natal – Lusitânia Mar 2012 (5 classes de vela ligeira e 250 velejadores de 4 países) e a realização da Cascais Laser Europa Cup 2012 (com a participação de 89 velejadores de 11 países) a 2ª edição do regresso a Cascais desta prova de vela Olímpica que acreditamos possa atingir um sucesso e número de participantes crescentes em edições futuras. Realizaram-se também em 2012 em Cascais e sob a organização do Clube várias provas oficiais de índole regional, de apuramento nacional (PANs) e Campeonatos Nacionais e de Portugal de várias classes de vela ligeira.

Manteve-se a forte atividade de regatas de Cruzeiro organizadas pelo Clube, sob o sistema simples “Handicap CNC” desenvolvido expressamente para o efeito, sendo de realçar o XIII Troféu Marina de cascais e o Troféu Conde de Caria, com o apoio da Tróia Marina. Assegurou-se, assim, a consolidação da posição do Clube como referencia em Portugal para a realização de grandes regatas nacionais e internacionais. Sócios, Atividade Social, Instalações e Serviços. Estas áreas, que apresentam os maiores desafios e oportunidades de desenvolvimento adicional para o Clube, verificam já vários progressos e o estabelecimento de uma atividade regular.

A estabilização da organização e das equipas administrativa/financeira, desportiva e de cais, assim com o marketing e relações públicas do Clube e a sua profissionalização e responsabilização, tem permitido uma crescente eficácia no desempenho das funções com vista a um melhor serviço aos Sócios. Os horários revistos de funcionamento do cais e da sede otimizam a utilização dos recursos humanos e as horas de serviço, parecem corresponder ás expectativas dos sócios. Avançou-se no processo de responsabilização, pelo Clube, das relevantes entidades intervenientes na construção de instalações pelas várias imperfeições identificadas, o que permitiu executar aperfeiçoamentos e alterações necessárias e identificadas. Destaca-se a reparação de infiltrações em várias áreas e a reconstrução integral da claraboia em torno à escada principal de acesso assim como a substituição de várias portas. É no entanto de assinalar, que os custos de manutenção da nova sede, em conjunto com algumas debilidades ainda existentes na mesma, representam uma responsabilidade adicional significativa que o Clube terá de suportar nos anos futuros. Em 2012 como já verificado no exercício anterior, os custos do exercício foram acrescidos de muitos destes custos ainda que tenham servido para diversos melhoramentos nas instalações do Clube. De destacar, nomeadamente, os investimentos realizados na renovação do Salão Nobre e da Sala dos Honorários e seus equipamentos, a aquisição de dois semirrígidos grandes de apoio às regatas, e a substituição do trator, a instalação de uma vedação ao longo do cais norte, a instalação do mastro de honra de bandeiras e a pintura das gruas.

O concessionário da exploração do Bar e Restaurante completou o primeiro ano de atividade e de contribuição com a respetiva receita para o Clube, ainda que a tal actividade requeira um significativo acompanhamento por parte do Clube de forma a que o serviço prestado corresponda ao pretendido.

No plano social realizaram-se nas instalações do Clube, em 2012, diversas “happy hours” e jantares relacionados com as regatas havidas assim como diversas festas, jantares e outras funções organizadas para pessoas e empresas, as quais contribuíram com receitas significativas para o Clube. De salientar o Jantar dos Sócios com a festa “Hello Summer”, e a sardinhada no cais e em Outubro, o quinto almoço anual oferecido pelo Clube aos representantes dos seus principais patrocinadores em 2012 e que contou com a presença do Presidente da Câmara de Cascais. Serão continuados os esforços para concretizar, no decurso de 2013, outros projetos, investimentos, serviços e benefícios que contribuam para o envolver mais os Sócios, atuais e novos, nas actividades sociais do Clube.

Finalmente na área de comunicação com os Sócios, e a sociedade em geral a divulgação do Clube e das suas atividades, assinala-se a consolidação da revista do Clube “Hippocampus”, já com dezassete números publicados a esta data, e que alcançou um bom acolhimento por parte dos Sócios e outros públicos, assim como o apoio dos anunciantes que asseguram a sua viabilidade financeira. Constatamos, com satisfação, que o objetivo proposto para esta revista está plenamente atingido. Mas, para além de comunicar, a “Hippocampus” tem divulgado contribuições preciosas para a história do clube, graças aos diversos textos redigidos por sócios e ilustrados com fotografias inéditas. Aproveito para aqui agradecer essa colaboração e incentivar outros Sócios a contribuir para a continuada recolha de documentação histórica sobre o Clube.

 

Falecimento de Sócios Honorários

Assinala-se, com grande pesar e tristeza, o falecimento inesperado do Sócio Honorário Joaquim Carlos Silveira, pessoa muito estimada no Clube, e pelos seus Sócios pela sua grande simpatia e afabilidade e a quem o Clube ficou muito a dever pelos tantos serviços que prestou, assim como o falecimento do Sócio Honorário António Mardel Correia, um grande velejador e a quem foi atribuído o Prémio Henrique Anjos pela sua postura exemplar na vida tanto no campo desportivo como profissional, e com relevo para as suas iniciativas de apoio social.

 

Nomeação de Comodoro Honorário do Clube

O Conselho Geral, na sua reunião de 10 de Dezembro 2012, aprovou, por unanimidade, uma proposta subscrita pelo Comodoro Miguel Horta e Costa e pelo Vice Comodoro Vasco Pinto Basto de atribuição do título de Comodoro Honorário ao Sócio Honorário Patrick Monteiro de Barros em reconhecimento da sua carreira brilhante como velejador e dos serviços que prestou ao Clube ao longo de mais de 50 anos de Sócio.

 

Situação Financeira

O ano de 2012 consolidou e reforçou ulteriormente a estratégia iniciada em 2008 e desenvolvida ao longo dos últimos cinco anos, de um novo ciclo de vida do Clube Naval de Cascais tendo o resultado e consolidação do balanço realizados no exercício excedido o orçamentado. O Clube tem vindo a corrigir as suas debilidades e a equilibrar a sua situação financeira. O desenvolvimento da atividade tem permitido libertar recursos para, progressivamente, investir nas suas instalações, frota de barcos e diversos equipamentos necessários ao seu desenvolvimento operacional e social. A realização das grandes provas contribuíram significativamente para as receitas do exercício, assim com o aumento e respetivas inscrições em regatas, enquanto as quotas e joias se mantiveram ao nível do ano anterior. Em 2012, a prestação de serviços de aluguer de salas e relacionados, assim como o primeiro ano completo da concessão do restaurante, contribuíram para as receitas do Clube para além que representaram um importante aumento da sua atividade. A revista “Hippocampus” mantém a sua independência financeira e tem apoiado o Clube na sua comunicação com os Sócios, patrocinadores, e sociedade em geral. O Clube registou em 2012 o maior nível de atividade da sua história e muito acima do ano anterior, tendo atingido um total de proveitos de 1.719.745€, o que representa um aumento de 49% versus 2011. Os custos, incluindo amortizações, tendo atingido o valor de 1.576.348€, de que resultou um resultado líquido positivo de 57.433€.

Agradeço a todos que connosco colaboraram neste ano de 2012 na condução dos assuntos do Clube, especialmente aos Membros dos Órgãos Sociais e Bernardo Pinto Gonçalves, aos Colaboradores do Clube, aos Sócios e voluntários que colaboraram com o Clube, às entidades oficiais com quem o Clube se relaciona, especialmente à Câmara de Cascais, suas Agências e Empresas Municipais, Turismo do Estoril, Marcascais, Capitania do Porto de Cascais, Dragopor, APCLaser-SB20, APCAccess, Federação Portuguesa de Vela, A.R.V. Centro, ISAF e outras organizações e Clubes Náuticos assim como os diversos patrocinadores do Clube e das suas regatas e os anunciantes da revista “Hippocampus”, por todo o apoio, colaboração e solidariedade que tiveram com o Clube e a sua Direção, por mim aqui representada, no decurso de 2012.

 

José Sotto Mayor

Matoso Presidente

Publicado em Historial

O CNC é membro de

ICOYC Logo Rodape